DCI 13/04/2015

A presidente Dilma Rousseff confirmou, durante entrevista na cerimônia de encerramento da 7ª Cúpula das Américas,  que realizará uma visita de governo aos Estados Unidos no fim do mês de junho. Energia alternativa, mudanças climáticas  e o aumento da cooperação em defesa e tecnologia estão entre as pautas. Dilma ainda aproveitou para classificar como superado o mal-estar diplomático causado pelo escândalo de espionagem da NSA: “Quando ele [Obama] quiser saber qualquer coisa, ele liga para mim”, disse. Perguntada se atende as chamadas do colega americano, a presidente abriu o jogo: “Não só atendo, como fico muito feliz”.  

Dilma no Facebook

A presidente Dilma aproveitou a Cúpula das Américas para divulgar uma parceria do governo federal com o Facebook, visando ampliar inclusão digital. O anúncio foi feito durante um encontro   com  Mark Zuckerberg, fundador da rede social. O governo  e o Facebook utilizarão como ponto de partida o projeto que a empresa desenvolve em   Heliópolis, região carente  da capital paulista. “Estamos  empolgados com essa parceria, e amplificar o acesso à internet permite avançar em diferentes áreas, como economia moderna, emprego, educação e comunicação”, declarou Zuckerberg. 

Distância controversa

A instrução lançada pela Comissão de Valores Mobiliários na quinta-feira (9/4), que permite aos acionistas votarem à distância em assembleias com até sete dias de antecedência, gerou controvérsias. Segundo a advogada Renata Freires de Almeida, do escritório Braga & Moreno Consultores e Advogados, a medida é legalmente discutível. “Isso fará com que a companhia conheça o voto antes da colocação das matérias em votação, permitindo a retirada de matérias da pauta, nos casos em que ela (companhia) perceber que não terá sucesso”.

Reforma do Judiciário

A 9ª edição do Anuário da Justiça Brasil será lançada amanhã (14) no Supremo Tribunal Federal, com a presença do presidente da corte, ministro Ricardo Lewandowski. A reportagem de capa analisa a chamada Reforma do Judiciário e defende que a medida só começou a ter real impacto sobre a produtividade do STF quando os ministros encontraram soluções internas para se adaptar à nova realidade, como passar o julgamento das ações penais do Plenário para as Turmas. Em 2007, o Supremo Tribunal tinha mais de 100 mil casos pra julgar; em 2014, eram 57 mil. 

Paulo Brossard

Faleceu na manhã deste domingo, em Porto Alegre (RS), o jurista, ex-deputado e ex-senador gaúcho Paulo Brossard. Uma das principais lideranças do MDB durante o regime militar, Brossard foi figura importante na luta pela reforma constitucional e abolição do AI-5. Em 1989, foi nomeado ministro do STF pelo ex-presidente José Sarney. Assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral em 1992. Exerceu a função de colunista do DCI durante os últimos cinco anos. Seu corpo será será velado no Palácio Piratini.
Colaborou: Henrique Julião


Tagged with:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>