“Plano de Voo”: Agradando a gregos…

“DCI On Line” 22/12/2014

O novo Código de Processo Civil (CPC), aprovado pelo Plenário, visa agilizar o trâmite dos processos judiciais, desafogando a Justiça
Mesmo ainda dependente da sanção presidencial, o CPC já vem conquistando elogios.

A advogada Valdirene Lopes Franhani, do Braga & Moreno Consultores e Advogados, por exemplo, destaca o avanço do CPC no tocante à  responsabilidade civil dos magistrados.  “Um juiz tem a obrigação de dar uma decisão num tempo razoável; só pode demorar se houver uma justificativa plausível. Se não der uma decisão em tempo hábil, poderá ser responsabilizado civilmente por perdas e danos”, explica.
 
… e troianos

A celebração também é feita pelos empresários. Na avaliação da FecomercioSP, o novo CPC incentiva os meios de autocomposição e prestigia o princípio da celeridade. Entre os principais pontos, a entidade realça a valorização dos institutos de conciliação e mediação em sede processual: mecanismos eficazes para solucionar conflitos de forma amigável; e comemora, ainda, a proposta contida para solucionar em único julgamento um conjunto de casos repetitivos que versem sobre a mesma questão de direito e ofereçam risco de ofensa à isonomia e à segurança jurídica.
 
Ano novo, gastos de sempre
O fim do ano está chegando, mas os gastos não tiram férias. Assim que as festas de Natal e réveillon terminarem é hora de sentar e calcular as despesas acumuladas com presentes e festividades, além de somar os gastos previstos com o IPVA, IPTU, matrículas dos filhos e material escolar. Para não errar nas contas, José Santiago Luz, sócio-diretor da Divisão de Auditoria da BDO, sugere que as pessoas se programem para não serem pegas de surpresa por dívidas não planejadas.  O especialista ainda recomenda cautela com as despesas nas férias com a família.
 
O pomo da discórdia
A exclusão das cooperativas da operação do sistema de transporte público de ônibus da cidade de São Paulo terá impacto no bolso dos passageiros. O alerta é do diretor do ramo Transporte da Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (OCESP), Guilherme Corrêa Filho. Isso porque, segundo o dirigente, com a exclusão, as 12 cooperativas que hoje operam no sistema terão de ser transformadas em empresas, o que aumentará os gastos públicos com o transporte coletivo, pois as empresas recebem mais recursos da Prefeitura por ter custo maior do que as cooperativas.
 
Em ritmo de festa
Apesar da desaceleração da economia, que vem afetando alguns setores, como o de bebidas, a Underberg do Brasil registrou em 2014 um aumento de 9% em seu faturamento e um avanço de 4% no volume de vendas em relação a 2013. A empresa, de matriz alemã, produz no país o bitter Brasilberg e comercializa o digestivo Underberg, uma das bebidas mais antigas do mundo. Para 2015, prevê crescimento de vendas entre 6% e 7%. A novidade é que, no próximo ano, o produto chegará à Áustria, Suíça e Ilhas Fiji.
Liliana
Lavoratti


Tagged with:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>