A partir de 1º de janeiro de 2015, os autônomos que recolherem o IR mensal através do carnê-leão terão de informar o CPF de cada contribuinte que fez o pagamento.

Isso significa, por exemplo, que médicos, dentistas, advogados etc. terão de informar o número do CPF de seus pacientes/clientes quando foram preencher o programa do carnê-leão a partir de 2015.

A obrigatoriedade dessa informação foi determinada pela Instrução Normativa nº 1.531, publicada no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira (22/12).

Segundo a instrução, os profissionais que usarem o programa do carnê-leão terão de informar, também, o número do registro profissional, por código de ocupação principal.

Os códigos por ocupação principal são os seguintes: médicos, 225; dentistas, 226; fonoaudiólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, 229; advogados, 241; e psicólogos e psicanalistas, 255.

Quando os autônomos não utilizarem o programa do carnê-leão, as informações deverão ser prestadas nas declarações anuais do IR.

O carnê-leão é um recolhimento obrigatório pelos autônomos que recebem mais do que o limite mensal de isenção da tabela do IR na fonte. O prazo para pagamento é até o último dia útil do mês seguinte ao do recebimento dos valores.


Tagged with:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>