Prezados:

I – O CPC 20 (R1), aplicável a todas as empresas, prevê que os encargos financeiros decorrentes da aquisição de ativo imobilizado devem ser capitalizados. Tais encargos serão alocados no resultado proporcionalmente ao registro da depreciação do bem.

No que tange ao ponto de vista fiscal, as empresas deverão, em observância à vigência do RTT, retirar os efeitos do “excesso de depreciação” e incluir o efeito da dedução da despesa financeira que seria contabilizada caso as práticas antigas estivessem vigentes.

Elaborado por Marcelo Marcondes Seixas


Tagged with:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.